varizes e vasinhos

Qual a diferença entre varizes e vasinhos?

Para quem trabalha muito tempo de pé ou sentado e com pouca atividade física, tende a ver nas pernas o surgimento de um emaranhado de fios vermelhos e arroxeados, doloridos e que deixam as pernas mais pesadas.

As doenças venosas possuem uma classificação que vai de zero a seis, em que 1 são os chamados vasinhos. Chamados de telangiectasias, são veias muito finas e superficiais, nos tons vermelhos e azuis. Já as varizes partem para o tipo dois, com veias dilatadas e tortuosas, bastante visíveis a olho nu.

Vasinhos e varizes

Os vasinhos e as varizes são semelhantes por provocarem um efeito estético desconfortável, mas tratável. Porém essas são as suas únicas semelhanças, já que possuem distribuição, causas e consequências distintas.

Os vasinhos podem surgir em várias regiões do corpo, de forma superficial e que às vezes podem ser sintomas de alguma doença venosa mais grave. Seu tamanho é de cerca de 1 mm de diâmetro e podem ser agrupados, mas sem causar elevações cutâneas. Se caracterizam como finas linhas avermelhadas e azuis, sem apresentar sintomas.

Já as varizes são salientes, tortuosas e grandes como nódulos dilatados, sendo visíveis as elevações cutâneas que causam especialmente nas pernas e pés. Surgem com o refluxo da circulação na região, especialmente nos membros inferiores quando as veias ao tentarem subir o sangue até o coração, não conseguem a pressão necessária ou ficam entupidas, retornando seu fluxo.

Ficar muito tempo sentado ou em pé, obesidade, sedentarismo e genética são as principais causas do surgimento e evolução das varizes. Muita gente acredita que seja apenas um problema estético pelas veias aparentes, mas elas podem causar dores e outros problemas como trombose e até ulceras se não forem tratadas.

Além da aparência, os sintomas das varizes são os vasos inchados, descoloração da pele ao redor, manchas, úlcera, inchaço, câimbra, coceira, síndrome das pernas inquietas entre outros.

Tratamento adequado para vasos e varizes

Cada tipo de classificação das doenças venosas possui um tratamento mais indicado. O tratamento conservador é o uso de medicamentos com uso de meias elásticas compressoras, que impedem o avanço da doença, mas não acaba com os vasos e varizes já existentes.

O mais comum para tratamento de vasinhos é a escleroterapia por agulhas bem finas, com produtos que causam seu ressecamento. Já as varizes utilizam métodos mais elaborados como a cauterização por radiofrequência, laser ou cirurgia, de acordo com o seu tamanho.

A cirurgia tradicional retira as veias por um procedimento simples, mas muito minucioso. Ela pode ser realizada com laser, em que o médico realiza um furo e insere uma fibra ótica na veia. Assim, laser é emitido e faz a coagulação do sangue e consequentemente, fecha o vaso.

A prevenção é a melhor maneira de evitar que os vasos e varizes possam surgir. Comece com uma alimentação que ajude a circulação saudável do sangue, com alto consumo de frutas, verduras, legumes, cereais integrais, ovos e peixes. Quem tem tendência pelo histórico familiar ou por pertencer ao grupo de risco, deve evitar o consumo ou a constância de carnes vermelhas, frituras e bebidas alcoólicas. Atividades físicas e exercícios também são ótimos para a prevenção, mas evite os que são isométricos que realizam muita pressão.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como médico cirurgião vascular e endovascular em Andradina!

Comentários
Dr. Fábio Aprigio

Posted by Dr. Fábio Aprigio